13 dezembro 2011

RM - Capítulo 15

UFA! Finalmente! *coro de aleluia*
E eu queria agradecer imensamente à minhas lindas Aniinha e Letícia por terem me ajudado com o cap... Sério, se não fosse pelas duas eu estaria empacada até agora! HAHAHAHAHAHA
E eu ainda tive que aguentar essas duas, me zoando por ter escolhido justamente a Charlize Theron pro papel da esposa do Edward, e agora ela está fazendo o filme SWATH com a Kristen! Mas, gente, eu fico de queixo caído com isso até hoje, porque quando eu escolhi essa mulher pra ser esposa dele, eu nem sabia desse filme ainda! HAUHAUHAUAHUAHUAHUA
Voltando, eu vou dedicá-lo à minha baby diva Aline Bomfim que me cobrou muuuito (e eu quase bati nela, mas isso não precisa ser comentado u.u) e como ela arrasou no vestibular esse final de semana *seca a lagriminha* esse cap é um mega presente pra ela! Parabéns, minha bitch!
E preparem-se *risada maléfica*

Promesse

         Certa vez me disseram que tínhamos que agarrar a felicidade quando ela aparecia em nossas vidas, e tinha que ser rápido, antes que ela se decepcionasse com a demora e seguisse outro caminho. Eu não sei se aquela minha atitude era a certa – se era a atitude predestinada a mim –, mas enquanto via Bella dançando por entre aquelas pessoas felizes, festejando uma simples ocasião como o aniversário de Roma, foi impossível não desejá-la, com todas as forças, para mim.
            E foi por esse motivo que a beijei, sem pensar, sem temer. Apenas amando-a com meus lábios. E ao olhar em seus olhos, tão profundos quanto o mais traiçoeiro dos oceanos, tive a sensação de que ali, do nosso lado, a felicidade nos empurrava um ao outro. E, quando dei por mim, havia feito a mais indecente, a mais insana e impensada proposta que havia sequer imaginado, embora fosse a mais verdadeira.
            – Vamos fugir, Bella. – murmurei simplesmente, sentindo seu espanto com minhas palavras – Vamos fugir e esquecer de tudo.

Para ouvir: Barcelona – Please Don’t Go

            Seu olhar, então, me fitou com toda sua intensidade e eu pude sentir a pontada de dúvida que a assolou. Contudo, havia algo ali. Meu peito não inflou da maneira correta ao ouvir tais palavras saírem dos meus lábios... Era como se aquilo fosse incerto – mas certo de alguma forma. Senti minha respiração se acelerar... Eu estava insano! Mas, Céus, eu queria fugir com Bella! Mas não queria fugir de tudo que havia construído ao longe de todos aqueles anos...
            – Edward... – ela sussurrou, umedecendo os lábios e olhando fundo nos meus olhos – Edward, eu... Eu...
            – Eu sei... – Minha voz pronunciou em um sussurro igualmente, ao passo que eu fechava os olhos e sentia minha mão deslizando por seu rosto tão suave.
            – Você tem ideia do que está dizendo? – Suas palavras não eram raivosas... Sua voz não passava de um delicado sussurro, enquanto seus dedos se entrelaçavam aos fios da minha nuca.
11 dezembro 2011

Vagas abertas para o The Best Fanfics

Oi, amores! Bom, vim aqui avisar que o The Best Fanfics está precisando de novos moderadores, então, se está interessado, leia as instruções (:
________________________________

Está Aberto Novamente Vagas Para O The Best Fanfics!

Está aberto, mais uma vez, vagas para parceria no blog. Queremos Moderadoras Design e Postadoras de Fanfics no blog, todos os dias.
Não é preciso saber tudo, somente o básico, pois vamos ensinar passo a passo o que cada uma deverá fazer.

Moderadoras Designs deverão saber usar XML, PhotoShop, HTML, e enviar um de seus blogs para nós vermos, para ver se seu trabalho é bom.

Moderadoras Postadoras deverão saber postar ao blog, entre outras coisas, ensinaremos.

Quantos(a) Designs o The Best Fanfics vai precisar?
No máximo 2 Moderadoras Design

Quantos(a) Moderadoras Postadoras?
No máximo 5 Moderadoras Postadoras.

Esta aberto as vagas para o The Best Fanfics.
Boa sorte à todos!
Avisaremos quando tudo estiver certo!

Preencha o Formulário, e não esqueça de preencher tudo.
 Atenciosamente,

 Natália Alves
Camila Cocenza
Raphaella Paiva
Administradoras
Equipe The Best Fanfics

09 dezembro 2011

B - Capítulo 3

N/A: Finalmente o 3º capítulo de Betrayer!
Ok, ok... Vocês devem estar querendo me matar pela demora, e eu realmente sinto muito por isso! 
E antes do cap bombástico, queria agradecer a minha cabrita¹, Júuh Almeida, por ter me ajudado com as informações de História! Eu tive que ler artigos até em alemão pra sanar algumas dúvidas, mas essa minha flor lá do Pará ligou pra teacher dela, acreditem? kkkkkk' Obrigada, bitch!
E não posso esquecer da minha gata Bia Felix, pela primeira recomendação de Betrayer! Thanks, cabrita²! Te amo muito, bitch!
Mas agora curtem o cap *___*


            – Me solta, seu desgraçado! – Ela gritava de ódio, tentando a todo custo sair do aperto do homem.
            – Você vai pagar caro, sua insolente... – Retrucou, pegando sua arma e mirando em Bella. E foi naquele momento em que ela ofegou ao ouvir o som do sacar do revólver, virando o rosto para cima de seu corpo e vendo o Capitão olhando-a.
            Ela esqueceu o palavrão que iria esbravejar, não conseguindo desviar seu olhar das íris incrivelmente verdes que a fitavam com tanta profundidade a ponto de ler cada pensamento seu. E, no entanto, Edward se deslumbrou com aqueles olhos tão diferentes que o encaravam... Aquela cor, aquela destreza... Ele nunca vira aquilo antes. E, de repente, se viu hipnotizado com o fascínio daquela bela estranha.
            Os olhares conectados pareciam ter vontade própria e nenhum dos dois sequer se atreveu a quebrar aquela magia que os envolvia. Não havia nada ao redor... Era como se uma bolha invisível os envolvesse, fazendo-os esquecer que estavam simplesmente no meio de uma floresta desconhecida, com uma guerra estourando há alguns quilômetros.
            Isabella sentia seu peito se mover descompassado, mas ela não sabia distinguir se o motivo era a corrida constante a que fora submetida ou se era o efeito das esmeraldas incontestáveis que a fitavam com tanto furor.
            – Vai hesitar, soldado? – perguntou um tanto insolente, e a voz levemente rouca com tons de sino arrepiaram os pelos do americano – Vamos, me mate...
            O sotaque alemão era quase imperceptível no inglês fluente da garota – a consequência do método que seus pais usaram de Charlie sempre conversar com ela em inglês e Renée, em alemão, durante seus primeiros anos de vida. Deste modo, Bella já era fluente em ambos os idiomas antes dos cinco anos de idade.
 Edward, no entanto, esquecera até mesmo de seu propósito ali, mas, ao ouvir as palavras ameaçadoras da garota, se viu completamente dependente. E sentiu que não conseguiria terminar o que havia começado.
            Sem ao menos entender a si mesmo, ele se levantou devagar, ignorando o olhar dourado e confuso que a alemã lhe lançava. Sua mente girava, incapaz de racionar como sempre fora treinado, e aquilo mais o deixou com raiva do que intrigado. Ele não entendia a porra do que estava fazendo ao ceder a vida a um inimigo.
            – Eu não vou fazer isso... – murmurou quase que pra si mesmo, virando-se de costas.
            Bella, no entanto, se levantou com força, sentindo uma estranha raiva daquele militar covarde.
            – Que soldado de merda é você que vai deixar uma nazista fugir? – Ela riu ao insinuar, incrédula, embora não admitisse o alívio que sentia – Tem medo de perder pra uma mulher?
            Foi inevitável não perceber o tom malicioso em sua voz, o que fez Edward voltar a encará-la com intensidade.
            – Não brinque comigo – disse somente, voltando a sentir aquela sensação estranha enquanto fitava aqueles olhos tão misteriosos.
            – Por quê? Por acaso vai mudar de ideia e, então, decidir me matar? – Bella perguntou, arqueando uma de suas delineadas sobrancelhas. E ela não entendia porque não conseguia parar de brincar com a sorte e fugir logo dali, mas ela sabia que tinha a ver com algum sentimento de ego estúpido. – Vamos, lute, soldado!
            E, dizendo isso, ela empurrou-o com ambas as mãos, fazendo Edward cambalear. E foi como se toda a sua racionalidade retornasse a sua mente.
            – Você ficou louca, garota? – Esbravejou ao retomar seu equilíbrio – Se eu fosse você fugia logo daqui, antes que eu mude mesmo de ideia e me arrependa de poupar sua vida.
            Bella não sabia o que se passava em sua mente naquele momento. A raiva disputava lugar com o ódio e o orgulho ferido, mas ela não era boba em procurar uma briga aonde ela sabia que iria perder, por melhor que fosse ao que fora treinada. Assim, com um último olhar àquele estranho americano, a jovem correu o mais rápido que pôde para longe dali.
            O Capitão da Força Aérea, no entanto, tentava decodificar os motivos que o levaram a fazer aquilo, e apenas meneou a cabeça em repreensão a si mesmo, perdendo a bela garota de pele alva de vista.
            – Inferno! – praguejou em um turbilhão de sensações que perpassaram em seu peito, pegando a primeira coisa que vira por perto – provavelmente algum pedaço de tronco de árvore – e jogando longe. O barulho que ecoou pela floresta assustou o próprio homem enraivecido, mas chegou como um simples estalar aos ouvidos da nazista, já há metros de distância.
            Os galhos assimétricos das coníferas que preenchiam a floresta batiam em seu rosto, provocando arranhões que, tamanha era a adrenalina que tomava suas veias, ela nem ao menos sentia. Seu coração palpitava dentro do peito e seus pulmões já protestavam, mas Bella não queria parar de correr... Ela nem ao menos sabia qual seria o seu destino.
            Sua mente martelava, tentando encontrar alguma razão idiota que fez o militar poupar sua vida – e ele fazia parte da alta patente, provavelmente, devido às insígnias que preenchiam sua farda azul escura. Mas ela não podia negar o que aqueles olhos tão penetrantes, e de um verde tão vivo quanto a mais rara das esmeraldas, a fizeram sentir. Era um misto de quente e frio, de bom e ruim, de certo e errado... E era uma merda não saber por que ela sentia aquilo. E era uma merda maior ainda não saber controlar esse sentimento.
            Dane-se essa porra, pensou com raiva, meneando a cabeça e percebendo que havia corrido demais. A jovem não sabia dizer por quanto tempo estivera correndo... Provavelmente horas, já que o céu estava claro em seus primeiros raios de luz da manhã, embora continuasse coberto por nuvens que anunciavam chuva. Mas em algum momento, ao longe, um soar de vozes chamou sua atenção. Ela parou instantaneamente, escondendo-se atrás de alguma árvore ao passo em que, cuidadosamente, andava rumo às palavras que ouvia.
            – Foi um ataque e tanto pelo que parece. – Um homem disse e Isabella, o mais cautelosa possível, avistou-o juntamente de outro, ambos de vestimentas brancas e com o desenho da suástica¹ no braço do uniforme.
Ela soltou um suspiro de alívio e um sorriso tímido moldou-se nos cheios e avermelhados lábios da garota enquanto ela avistava a ambulância camuflada há alguns metros, numa estrada de terra.

04 dezembro 2011

Capítulo 3 de Betrayer - Nova prévia!

Hey, negads! Well, infelizmente não consegui escrever o cap todo de Betrayer ontem, porque ele me deu uma trabalheira danada... Como é uma fanfic baseada em uma história verídica - mesmo tendo todo o cenário romântico - ela me exige muito conhecimento sobre a 2ªGM, então tive que pesquisar algumas coisinhas sobre, além de, claro, tirar dúvidas sobre fatos da época!
Anyway, pra vocês terem ideia, eu tive que ler alguns artigos em alemão porque não estava encontrando o que queria em português ou inglês! kkkkkkkkk'
E ontem a noite saí com a família para compras e hoje o dia todo tive o primeiro dia de provas da 2ª fase do vestibular da UFG, soooo... Nem consegui prosseguir o cap! Mas finalizo ele para a postagem até quarta e, então, foco em RM!
Chega de faladeira... Deixo aqui uma nova prévia do capítulo, com o que escrevi ontem! E o título do cap vocês irão entender quando ele estiver completamente terminado!

PS: Vou prosseguir de acordo com a prévia anterior. Se ainda não a leu, clique aqui.

Capítulo 3 - Infiltrada


                – Você ficou louca, garota? – Esbravejou ao retomar seu equilíbrio – Se eu fosse você fugia logo daqui, antes que eu mude mesmo de ideia e me arrependa de poupar sua vida.
...
            – Foi um ataque e tanto pelo que parece. – Um homem disse e Isabella, o mais cautelosa possível, avistou-o juntamente de outro, ambos de vestimentas brancas e com o desenho da suástica¹ no braço do uniforme. Ela soltou um suspiro de alívio e um sorriso tímido moldou-se nos cheios e avermelhados lábios da garota enquanto ela avistava a ambulância camuflada há alguns metros, numa estrada de terra.
            – Nem me fale! Estão todos dizendo que Füher se enganou sobre o local que seria atacado... Ele estava esperando esses malditos americanos bombardearem outra ilha e não Normandia – O outro paramédico disse e, estreitando-se um pouco mais no tronco da árvore, Bella viu que eles enchiam o pneu do furgão. Provavelmente havia furado durante o trajeto cheio de pedregulhos percorrido.
            – Pronto, finalmente! – O homem mais alto pronunciou, guardando uma ferramenta qualquer na parte de trás do veículo. – Vamos logo à Normandia, os outros já devem ter chegado lá pra socorrer os feridos.
           Feridos... Em seu íntimo, Isabella rezava para que Jessie não fosse um deles. E, então, uma ideia nada mal para a situação começou a surgir na mente da garota. Ela sabia que provavelmente aqueles paramédicos, enfermeiros, ou seja lá o quê da cruz vermelha alemã, não ficariam satisfeitos por ter uma mulher importunando o trabalho deles. Deste modo, quando vislumbrou os dois homens entrarem de volta na ambulância, correu até a mesma – com a suavidade de um cisne e a rapidez de um lobo, lembrou-se do que seu pai sempre a dizia.
         Sem sequer ser notada, a bela garota abriu cuidadosamente a porta do furgão, adentrando em um átimo e escondendo-se por entre alguns panos claros que ali haviam. Foi uma jogada de sorte, constatou com um sorriso vitorioso no rosto, sentindo o automóvel começar a se movimentar rumo ao litoral, junto de um trovão que invadiu os céus.
...
            – Que se foda essa merda de tempo... – Edward rosnou, entrando em sua tenda no secreto quartel-general improvisado, há milhas de onde houvera o ataque da madrugada.
            Em outros tempos, Jasper provocaria Edward, dizendo que ele estava precisando é de uma boa transa para dissipar todo aquele mau humor, mas dessa vez se contentou em apenas olhá-lo divertidamente. Ele conhecia seu amigo de longa data melhor que ninguém e, por mais que chegara dizendo que havia ganhado a aposta por ter atacado o avião alemão, mais cedo, o Tenente sabia que havia algo de errado ali. Mas agora não era hora de se preocupar. Ainda não.
...
            A chuva que começava a cair fez a menina-mulher estremecer de frio pelo vento que a acompanhava, andando vagarosamente pelo destroçado solo, afundando seus pés na lama que era formada com o contato da água que caía. Os pingos deslizavam por sua pele tão branca quanto a neve e seus olhos de águia acompanhavam os tantos homens caídos por todo lado. Muitos ali eram conhecidos seus e o aperto em seu coração apenas se intensificava, com medo de seu Jessie estar entre eles.
...
No entanto, um amontoado de curtos cabelos loiros em uma maca ao longe alertou a jovem, fazendo-a correr, sem se importar no quê ou em quem estivesse pisando. Ela somente enxergava a pessoa que lhe dera tudo – sobretudo força – deitado ali.
            – Jessie! – gritou em um misto de alívio e temor. Ela o encontrou, mas sabe-se lá Deus qual seria seu estado. – Jessie...
            Isabella caiu de joelhos, vendo seu namorado gemer de dor enquanto, carinhosamente, ela espanava os finos pingos de chuva que molhavam o belo rosto de traços fortes, embora delicados, que tanto já contemplara.
            – Jess, amor... O que fizeram com você?
Continua...

E aí, curtiram? Então comentem e indiquem...
Essa semana eu trago o cap prontinho!
Toodles honey 
02 dezembro 2011

Novidades!

Hey, people! Como vão?
Desculpem pela demora em atualizar o blog nos últimos dias, mas o mês de novembro foi uma correria pra mim u.u
Well, primeiramente vim dizer que estou muuuuito animada por ter passado na primeira fase no vestibular da Federal do meu estado! E ainda estando no segundo ano do EM, isso é uma realização e tanto pra mim... Agora é terceirão pela frente e, então, prestar vestibular pro meu verdadeiro curso!
E vocês devem ter notado a carinha nova do blog... Bom, esse template é apenas temporário já que tive um probleminha com o anterior... E, enquanto isso, minha linda Nathy (Nathália Almeida) está fazendo o novo template que deve ficar pronto em breve \0/
Ah, e para comemorar minhas férias que finalmente chegaram *coro de aleluia*, vou fazer o possível pra postar cap novo de Betrayer até amanhã, ok? E teremos atualização de Respiro Me na próxima semana finalmente!
Estou louca de saudades dos reviews de vocês, então vou me apressar com as fanfics!
Bom, é isso, babies... Ah, e não se esqueçam de seguir o Doces Meninas! Sou a nova colunista de filmes e designer do site que é uma graça! Passem por lá! 
E somente para avisar, o blog da Sparkling Design foi reaberto (e está muuuito lindo, meninas) e a Carol, uma das designers de lá, me convidou para ser jurada e moderadora de um novo blog - extensão da Sparkling - de concursos de fanfics! Então preparem-se para concorrer!
E espero que estejam participando do concurso do The Best Fanfics, hein? Como uma das administradoras do blog e também jurada, eu e as meninas estamos esperando as one-shots de vocês pro The Best Challenge de lá!
Um beijo, divas... E até breve!
Toodles honey

 
Template feito por Nathália Almeida, exclusivo para disponibilização no Single Themes. Não retire os créditos!