23 dezembro 2013

BR - Capítulo 10

Babiiiies! Perdão pela demora, mas como eu disse semana passada em Dark Paradise, esses últimos tempos foram uma loucura sucks pra mim. Mas aqui está um capítulo louco e romântico de BR! Que saudades dos nossos putos! Hahahahaha'
Enjoy it.


Capítulo 10: Valência – Parte 1

Eu não acreditava em destino
Eu procuro e você está ao meu lado
Que sensação!
(Aqualung - Brighter Than Sunshine)

Arredores da Castilla-La Mancha – Estrada A3
14h58min

            Paisagem verde de belas serras e planícies, céu azul, brisa suave e Foster The People nos alto-falantes do Mustang enquanto Robert dirigia através da Espanha com Kristen ao seu lado e três putos divertidíssimos no banco traseiro. Seria perfeito se não fosse pela loura matraca que não parava de rir da revelação do Tom no banco de trás.
            – Sério mesmo que você quase já dormiu com um traveco?
            – Não me julgue, ok? – O ator se defendeu com um olhar assustado e um bico enorme nos lábios; os amigos rasgando-se em uma gargalhada enorme. – Eu estava mais que bêbado, só na hora H percebi que o que tinha ali era um pinto enorme!
            – NÃO ACREDITO! – Dakota roncou no meio do riso, gargalhando e colocando a mão na barriga.
            – E o que você fez depois? Deu um “hasta la vista” e sebo nas canelas? – A morena perguntou em diversão e meio a uma alta risada, curvando-se no ombro do fotógrafo para olhar para o banco de trás.
            – Foi! – Tom riu e a crise de risos aumentou. – Só sei que nunca mais vou sozinho pra Tijuana!
            – Graças a Deus; estava começando a duvidar da sua masculinidade, bebezão! – Sienna murmurou risonha ao apertar as bochechas do inglês.
            – Sou muito macho, irmãos!
            – Claro que é – A loura baixinha zoou outra vez, meneando a cabeça. – Ai ai, esse foi o babado do século.
            – Tá bom, agora sou eu que pergunto! – Ele revirou os olhos ao erguer as mãos. – Primeira vez de vocês?
            – Primeira vez de quê? Que transou, beijou na boca, viu Madagascar, cantou eu Eu Me Remexo Muito? – Dakota provocou, fazendo o moreno olhar com cara de descrença enquanto os outros riam. – Primeiro quem responde é o Rob!
            – Por que eu? – Fez cara de inocente.
            – Porque você é gostoso e com certeza quer comer minha amiga, então desembucha! – ela respondeu no melhor jeitinho Dakota que fez todos rirem, e o fotógrafo e a escritora trocaram um olhar divertido.
            – Okay, eu tinha uns 15 anos e foi com uma líder de torcida que vivia jogando os peitos na minha cara – Ele riu, seguido pelos outros, exceto por uma Kristen que se remexeu desgostosa no assento do passageiro. – Não demoramos nem 10 minutos no vestiário vazio, mas foi bom!
            – Agora a Kristeeeeen! – A loura maliciosa cantarolou o nome da amiga enquanto todos a olhavam com ansiedade.
            – Que bando de curiosos, meu Deus! – murmurou risonha antes de prosseguir. – Foi aos 17 com o Michael, na casa de campo da família dele quando completamos seis meses de namoro, nada demais.
            Nem deu tempo do Robert querer quebrar a cara do mané ou Kristen se sentir desconfortável, pois logo a amiga já soltou um comentário bem típico dela.
            – Pelo jeito ele tem pinto pequeno! – ela comentou embolada em uma risada alta e engraçada que fez todos gargalharem.
            – E você, Kota? Fale sobre sua primeira vez! – Tom atiçou; seu lado de velhinha fofoqueira todo curioso.
            – Minha primeira vez com homem, com mulher, orgia ou o quê? – Ela tirou uma com a cara dele, fazendo todos rirem e ele rolar os olhos. – Minha primeira vez foi com uma garota da minha aula de Francês, no colegial. A gente se conheceu, passamos a namorar e após dois meses rolou nossa primeira vez, foi maravilhoso! Três meses depois nós brigamos, terminamos, fiquei bêbada numa festa e foi aí que conheci a K!
            – E com homem? Já rolou?
            – Uma vez, já na faculdade – Ela riu. – Só serviu pra confirmar que eu gosto mesmo é das aranhas brigando!
            – MEU DEUS, EU NÃO OUVI ISSO! – Kristen soltou uma gargalhada altíssima, sendo seguida pelos outros malucos na longa viagem ao leste espanhol.

Valência, Espanha – Propriedade da família Sturridge
17h26min

            – Uau, acho que vou morar aqui pra sempre, posso? – A loura olhou com um beicinho e os olhinhos brilhando para Tom à medida que todos admiravam o belo casarão onde passariam os dois próximos dias.
            A família do ator possuía uma linda propriedade no alto de uma das serras da cidade, longe do centro e com uma visão lindíssima para as planícies verdes, as plantações e até vinhedos ao horizonte. O Sol do final da tarde resplandecia um tom lindo de dourado sobre a grama e fazia as paredes do enorme sobrado parecerem ainda mais mediterrâneas.
            A casa de três andares era estreita, com paredes de um bege envelhecido e janelas e uma porta de entrada de madeira marrom e, do outro lado, paredes salmão com janelas azul turquesa. Ao longo da construção havia uma bela escadaria de pedras cinza que circundava toda a lateral em sentindo horizontal da fachada, indo desde o gramado do jardim, passando pela porta marrom – com um longo degrau onde havia samambaias, duas cadeiras e enormes cachepôs com flores rosa choque – até dar acesso aos fundos. Árvores de flores roxas, floreiras nos parapeitos das janelas e luminárias vitorianas nas paredes davam um toque final ao charme e beleza do lugar.
            – Tudo bem, quer casar comigo, Tom? Já temos até onde morar: aqui! Não é legal? Eu sou uma gênia, eu sei que sou – Dakota continuou importunando o moreno, fazendo todos rirem e ele bagunçar seus cabelos.
            – Que bom que gostaram, galera! – Ele sorriu, caminhando até as escadas com os amigos em seu encalço. – Minha família costuma passar os feriados de final de ano aqui, então é como minha segunda ou terceira casa, já que tenho Londres e LA agora!
            – Ah, deve ter sido ótimo crescer aqui! – Kristen sorriu, abaixando-se para cheirar as flores nos grandes vasos.
            – E foi! Até o Rob já passou alguns Natais aqui com a família dele; já aprontamos muito por essas redondezas! – murmurou malicioso ao fazer um high-five com o amigo e ver as meninas revirarem os olhos.
            E assim que Tom pegou a chave guardada debaixo da mesma floreira de sempre, eles abriram a porta da frente e foram invadidos com a beleza da arquitetura mediterrânea que sempre mesclava as cores terracotas com enormes janelas e uma claridade límpida tipicamente espanhola. Paredes claras, pisos de pedras lisas, madeiras escuras, tapetes persas e cores vívidas em quadros e cortinas. Não era nada que ostentava riqueza; era apenas uma simplicidade impecável pelo bom gosto e ar médio.
            – Que lindos! São seus pais? – A escritora perguntou ao caminhar pela sala, parando em frente à lareira ao avistar alguns porta-retratos. Ela amava o modo como as histórias podiam ser impressas em uma única tela.
            Tom se aproximou com um sorriso assim como os outros – Robert abraçando a morena delicadamente pela cintura.
            – Sim. São meus pais, meu irmão mais velho, Arthur, e minha irmã caçula, Matilda. – falou ao apontar à senhora bela e ruiva, ao homem de cabelos grisalhos abraçado a ela e um jovem de seus 25 anos, com cabelos cor de fogo e olhos iguais aos de Tom, agarrado a uma garotinha sorridente de lindos olhos azuis e puxadinhos como a característica de quem possuía Síndrome de Down.
            – Seu irmão é a sua cara, mesmo com os cabelos ruivos! – Sienna riu agarrada ao britânico que puxou ela e Dakota em um abraço. – E a sua irmã é a coisa mais fofa do mundo. Que vontade de apertar!
13 dezembro 2013

DP - Capítulo 5

Oi, gatonas! Perdão pela demora em postar. Como disse no grupo, o mês de novembro foi meio complicado pra mim, mas agora vamos que vamos!
E aí, quem assistiu TROPICO aqui? Gente, morri com tanta perfeição! Tive várias inspirações pra DP u.u
E sem mais enrolação, espero que gostem do capítulo. Eu particularmente amo capítulos pós-primeira vez do casal (66'

Black Beauty
“Eu coloro o céu de preto
Você disse que se fosse do seu jeito
Você faria o mundo noturno hoje
Então ele combinaria com o humor da sua alma”

            A cama estava quente e macia, os lençóis ondulando seus corpos relaxados e em um frisson desesperado de calmaria e aconchego. Edward suspirou tranquilo ao abrir os olhos para a manhã nublada em preto e branco, sentindo seu corpo espremido em um abraço envolta da pele macia e pálida de Isabella, ressonando de costas pra ele enquanto sentia as grandes mãos a protegendo em seu inconsciente.
            E o britânico apertou-a um pouco mais em seus braços, escondendo o rosto nos cabelos escuros e perfumados ao fechar os olhos à bonança. Ele poderia ficar ali eternamente.
            Um resmungo baixinho soou no quarto de tons cinzentos daquela manhã que anunciava uma chuva, e o homem sorriu ao ver a garota se ajeitar na cama e os cabelos em seu pescoço se movimentarem, deixando uma tatuagem à mostra que o surpreendeu. Era uma pequena cruz feita em tinta preta, logo abaixo da nuca, deixando a pele alva ainda mais apetitosa. Ele sorriu ao depositar um beijinho no desenho, fazendo Bella gemer e se apertar no abraço forte.
            – Às vezes eu esqueço que você não é tão inocente quanto parece – Edward sussurrou rouco no ouvido da morena, ouvindo os doces lábios se moverem em um sorriso lento.
            – Que atrevido – Ela fingiu um ultraje, virando-se na cama e enrolando suas pernas entre as do britânico antes de deixá-lo deliciado com as íris verdes e preguiçosas da americana.
            A jovem envolveu suas mãos no corpo quente enquanto sentia sua nudez ser aquecida em deleite entre os músculos do inglês, escondendo seu rosto no peitoral firme e fechando os olhos para aproveitar cada centímetro daquela sensação maravilhosa e entorpecente que Edward Masen sempre lhe referia.
            – São quantas horas? – ela murmurou com um beicinho nos lábios, apertando ainda mais o corpo forte. – Eu tenho aula.
            Ele riu da preguiça personificada, mexendo-se até conseguir enxergar o relógio digital no criado-mudo atrás da menina, o que a fez perceber um pequeno desenho tatuado na costela do britânico que a intrigou.
            – Quem é Elizabeth? – perguntou em um tom de curiosidade, lendo a palavrinha em letra cursiva depois que ele deitou novamente e a puxou para si.
 
Template feito por Nathália Almeida, exclusivo para disponibilização no Single Themes. Não retire os créditos!